207522_4467995462685_806292165_n

3 curiosidades sobre Armas de Corte

Os apaixonados por espadas vão adorar estas curiosidades.

Elas estão na história, em filmes e quadrinhos, e provocam um verdadeiro encantamento em crianças e adultos. Elas também têm vários formatos, origens e finalidades. As espadas são consideradas um símbolo de bravura e, durante muito tempo, elas foram as principais armas para o combate corpo a corpo durante as guerras. Atualmente, as espadas são usadas em modalidades esportivas e atraem adoradores desta arma cheia de curiosidades que separamos para você a seguir.

Curiosidades sobre espadas

#1 Sabre longo facilitava o combate da infantaria contra a cavalaria

O sabre longo, que hoje é utilizado pelas escolas de Pa-Kua como ferramenta de treino, é uma arma chinesa que tem como provável origem os ataques dos piratas japoneses na costa da China (apesar de existirem relatos que as colocam em tempos mais antigos). Os japoneses eram especialistas em combate corpo a corpo e individual, tendo vantagens contra as tropas chinesas do período, principalmente na configuração de combates no mar (poucos sabem, mas os japoneses eram ótimos em combates marinhos, inclusive treinando nado com suas armaduras). O sabre longo surgiu para dar uma vantagem para as tropas chinesas, colocando uma arma com alavanca maior e com maior alcance. Esse comprimento a mais permitia, inclusive, um maior equilíbrio para a infantaria combater a cavalaria (essa arma também era conhecida como o “sabre cortador de cavalos”).

>>> 3 coisas que você não sabe sobre Armas de Corte

>>> 5 filmes para quem gosta de espadas

#2 Chamando a atenção do oponente

Em uma luta, existe um jogo de movimentos e técnicas que servem para distrair os oponentes. É a aplicação da Arte da Guerra, que induz o oponente ao erro. Nas lanças por exemplo, o motivo da crina que se encontra logo abaixo da ponta serve para chamar atenção e distrai-lo. Serve também para absorver o sangue e impedir que vá até as mãos, o que faria a arma escorregar. As lendas dizem que essas crinas eram colocadas na cor natural (branco, marrom ou preto) e que os melhores guerreiros acabavam por ficar com as vermelhas (alusão ao sangue dos inimigos). Isso teria criado a tradição e hábito de colocar as crinas vermelhas nas lanças. Também serve como um subterfúgio, pois anunciaria um exército ou tropa de elite quando todos tivessem as lanças com crinas vermelhas. Em alguns exércitos se chegava a colocar malabares e “dançarinos” de espadas para distrair as tropas e tentar colocar medo nos oponentes.

#3 Equilíbrio de forças

As armas têm uma característica interessante dentro da prática que é a de “equalizar” a força de pessoas diferentes. A técnica não depende do quão forte você é, mas sim da sua habilidade e destreza. Dessa forma, um oponente menor e mais fraco (fisicamente falando), consegue lutar contra um oponente mais forte, pois o que é mais relevante é a técnica de cada um, e não a força física em si. Voltando ao sabre longo, por exemplo, os soldados/piratas japoneses eram melhor treinados do que os chineses do mesmo período, mas a situação acabou se invertendo com o uso de uma arma maior e que aproveitava melhor a alavanca de ataque (o sabre longo) e de um treino mais intenso nas tropas chinesas (organizado pelo lendário General Chinês Qi Ji Guang (1528-1587).

Se você gosta de espadas e quer aprender a manuseá-las, você precisa conhecer a modalidade de Armas de Corte da escola de Pa-Kua. Durante as aulas, o praticante aprende o manejo de facas, sabes e espadas, buscando constantemente o “Ser Guerreiro”: aprender a ser melhor que podemos, a executar tudo com excelência, a busca pela melhoria constante.

About the author: Camila Tremea

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.