depoimento

Melhorar e mudar todos os dias

Mestre de Pa-Kua, Leonardo Laus passou a se importar mais consigo mesmo

No Pa-Kua há 10 anos, Leonardo Laus, terceiro grau em Armas de Corte, criou interessou pela escola quando foi apresentado ao conceito da não-competição. “Não acredito que seja correto as pessoas precisarem provar o seu valor”, afirma. A melhoria, diz o mestre, deve ser particular, interessando apenas a evolução de cada um.

Não acredito que seja correto as pessoas precisarem provar o seu valor.

Ao longo de sua trajetória, Laus se tornou uma pessoa mais confiante e passou a enxergar o seu próprio valor como indivíduo. “Deixei de me submeter à vontade dos outros e me importo com o que eu acho relevante. Sinto que sou capaz de mudar e melhorar todos os dias”, atesta. Aos poucos, diz Laus, o conhecimento de Pa-Kua se torna parte da realidade naturalmente. “Às vezes aprendemos algum conceito que nem compreendemos, mas, depois, quando nos damos conta estamos o executando em diversas esferas da vida”, diz.

>>> Gostar de si mesmo e se relacionar melhor com as pessoas. Leia o depoimento de Naiara Bastos

Faixa vermelha em Arte Marcial, cinza em Arqueria e Acrobacia, laranja em Ritmo e Cosmodinâmica e amarela em Sintonia, Laus diz que o Pa-Kua é uma forma de viver a vida. É uma prática tão abrangente que ele indica para qualquer pessoa, seja os que buscam o aperfeiçoamento físico, seja os que buscam o mental.

About the author: Camila Tremea

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.