Pa-Kua para entender a importância das mudanças

Aprendizado trouxe melhorias para a autoestima

A estudante universitária Gabriela Geffer, 19 anos, sempre gostou de Artes Marciais e já tinha praticado Jiu-Jitsu. Quando passou em frente a uma escola do Pa-Kua, uma aula de Armas de Corte chamou sua atenção. Praticante desde 2015, é faixa amarela na sua modalidade principal (Armas de Corte) e também faz aulas de Acrobacia. Nesse tempo, precisou fazer uma pausa de oito meses no treinamento. “Não imaginava que a prática pudesse me fazer tanta falta, assim como as pessoas. O Pa-Kua não é simplesmente um esporte. É diferente de ir para a academia só para melhorar a saúde e a forma física”, diz.

Sou mais forte hoje em dia, muito mais autoconfiante. A diferença entre o que eu sou e como eu era quando entrei para a escola é enorme.

Para Gabriela, a prática permitiu que ela descobrisse e entendesse melhor características da sua personalidade. “Sou mais forte hoje em dia, muito mais autoconfiante. A diferença entre o que eu sou e como eu era quando entrei para a escola é enorme. O Pa-Kua me permitiu mudar e me fez entender a importância das mudanças”, conta. Lá dentro, ela entendeu que pode ser o que bem quiser, sem se preocupar com padronizações ou agradar aos outros. “Quando eu penso na escola que frequento eu não lembro do lugar, mas sim como eu me sinto lá e como esse sentimento se reflete quando eu saio de lá”, diz.

via GIPHY

Além de se tornar mais autoconfiante, Gabriela deixa para trás qualquer tristeza ou preocupação quando chega à escola. A modalidade de Acrobacia ainda permitiu que ela aumentasse a confiança em outras pessoas e entendesse a importância do trabalho em equipe. “O desapego também é muito trabalhado no tatame, porque passamos entender que as mudanças são naturais e elas precisam acontecer o tempo todo”, finaliza.

About the author: Camila Tremea

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.