lendas-chinesas

Conheça 3 lendas chinesas

A mitologia chinesa é repleta de histórias, lendas e guerreiros venerados ainda na modernidade.

A mitologia chinesa é repleta de histórias, lendas e guerreiros venerados ainda na modernidade. São passados de geração para geração e acredita-se que ela seja uma forma de rememorar fatos passados. Algumas já foram publicadas em livros, mas muitas continuam sendo passadas através das tradições orais, em músicas e peças de teatro. Para os leigos, O Pa-Kua separou três guerreiros, que estão explicados de forma bem resumida. Confira:

Hou Yi – O Deus do Arco e Flecha

Foi um Arqueiro Chinês Mitológico. Era tão habilidoso que foi retratado como um Deus do tiro com Arco e Flecha. Sua lenda, O Tempo de Dez Sóis, conta que haviam dez pássaros solares e que, diariamente, um deles dava a volta ao mundo. Certo dia, cansaram da rotina e decidiram que todos deveriam ir ao mesmo tempo, tornando o calor na terra intenso. Plantações murcharam e rios secaram. Até que Hou Yi, irritado com o sofrimento do povo causado pelo mau comportamento dos pássaros solares, levantou seu arco e atirou neles um por um. Antes que pudesse matar o último, o Imperador Yao o impediu e disse que o mundo precisava do sol. Desse dia em diante, o sol sempre fez seu trabalho, sempre nascendo e se pondo no tempo.

Lu bu – O senhor da Lebre Vermelha

Foi um ambicioso general que, posteriormente, tornou-se um senhor feudal durante a Dinastia Han. Era um incrível e temido guerreiro: dizia-se que a mera fala de seu nome poderia fazer até o mais corajoso oficial tremer. Sua alabarda (arma de longa haste com uma lâmina em forma de meia-lua) pesava, em média, 100 quilos. Ele tinha uma égua como montaria cujo apelido era Lebre Vermelha, que, diz a lenda, podia correr mil léguas em apenas um dia.

Guan Yu – O Deus da Guerra

Considerado um dos maiores guerreiros da China Antiga, o grande mestre da cavalaria simbolizava lealdade. Era muito forte e temido pelos inimigos, tanto que era chamado de o Deus da Guerra. Por suas habilidades, comandou os “Cinco Tigres de Shu”: Zhao Yun, Zhang Fei, Ma Chao, Huang Zhong. Foi morto em uma das suas batalhas e dizem que sua cabeça foi separada do corpo e entre ao Rei, que chorou sua morte e homenageou-o com uma tumba sagrada.

>>> Conheça 4 mulheres guerreiras da história 

>>> A revolução dos boxers: a busca pelo fim dos estrangeiros na China

About the author: Camila Tremea

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.