O que faz do Circo da China algo excepcional

A tradição do circo chinês começou há mais de dois mil anos no Período dos Estados Combatentes. Artistas chineses, acrobatas e contorcionistas são claramente reconhecidos em artefatos antigos já nas dinastias Qin e Han (221 aC – 220 aD).

Os registros históricos, as relíquias antigas, as esculturas em relevo em túmulos, pedras e tijolos, murais em templos e grutas e padrões decorativos em utensílios mostram que durante séculos o público ficou fascinado com as performances deslumbrantes de artistas chineses, acrobacias e circo.

Embora muitos tipos de números acrobáticos existiram durante a Dinastia Ch’in (255-207 aC), foi a Dinastia Han que viu a forma de arte alcançar novos níveis e se tornar uma forma popular de entretenimento.

A maioria dos grupos foram formados ao longo de linhas familiares e desenvolveram habilidades e rotinas que, com algumas alterações, são realizadas até hoje.

Conhecido como o “Pai Hsi” ou os “Cem Atos”, durante este período o circo evoluiu para um longo show com grande variedade de números de trampolim, malabarismo e mágica.

Zh`ang Heng, um grande homem de letras na Dinastia Han Oriental, registrou em um de seus escritos, “The Western Capital Fu”, muitas rotinas acrobáticas emocionantes e truques de mágica. O circo chinês moderno, por mais sofisticado que possa parecer, foi criado e realizado pelos antigos acrobatas chineses.

Esses acrobatas foram os favoritos da corte ao longo do Período Wei do Norte (386 – 534), na Dinastia Sung (960 – 1279), como registrado em livros e pinturas da época. Durante a Dinastia Sung, a arte da acrobacia foi praticada por metafísicos taoístas em um esforço para aperfeiçoar suas habilidades físicas e concentração mental.

Com o passar do tempo, o público do circo chinês mudou e, além dos nobres, os artistas foram bem recebidos também pelas pessoas comuns. Os artistas do circo se juntaram a marionetes, contadores de histórias, magos, dançarinos e outros artistas, que já se apresentavam para camponeses.

O governo chinês começou a acompanhar de perto o movimento de grupos e artistas individuais.

Como resultado, ao longo dos séculos XIX e XX, o circo chinês existiu em um formato menos estruturado. Viajando sozinhos ao invés de em grupos, os artistas ficaram desmoralizados e desacreditados perante o público.

Em 1949, a República Popular da China começou a financiar grupos e o circo chinês ressurgiu como uma forma de arte popular. Foi criado um grande número de novos programas com acompanhamento musical, figurinos, adereços, iluminação e o circo chinês tornou-se uma forma abrangente de arte de palco, tão magnificamente representada pelos artistas do Circo Imperial da China.

 

O que são alongamentos estático, dinâmico e passivo?

Antes mesmo de você começar a praticar exercícios regularmente já se sabe: alongar é importante. Ainda assim, são poucas as pessoas que têm conhecimento do por que alongamos antes ou depois das práticas esportivas.

Em termos genéricos, o alongamento é o exercício físico voltado para a flexibilidade corporal. Músculos mais alongados são músculos mais fortes: o motivo? O alongamento promove a quebra das fibras musculares, deixando os músculos maiores e não atrofiados.

Ao mesmo tempo, os músculos são como elásticos que precisam ser frequentemente estendidos para não “arrebentarem” quando forem muito exigidos. E o alongamento promove exatamente essa flexibilização.

Conheça as modalidades do Pa-Kua 

A prática do alongamento muscular melhora potencialmente a movimentação das articulações, diminui dores e aumenta a disposição  – podendo ser feito em intensidades e objetivos diferentes: é uma prática indicada para todas as idades. A importância do alongamento passa também pela melhoria da postura.

Conheça os diferentes tipos de alongamento

Ao entender a importância do alongamento na atividade física, saiba que existem diferentes tipos de alongamento e cada um deles é realizado de uma forma, cumprindo papéis bem específicos na musculatura. Veja abaixo:

Estático

É o tipo de alongamento mais tradicional. Nele, enquanto uma área fica estendida, o restante do corpo permanece parado. A recomendação é que o atleta fique entre 30 e 60 segundos na mesma posição para bons resultados.

Dinâmico

No alongamento dinâmico o atleta faz movimentos de vai e vem, que por sua vez ajudam a trabalhar diferentes estruturas, por meio de estímulos que ajudam os músculos a se soltarem e ficarem menos tensos.

Passivo

Nesse alongamento o atleta recebe a ajuda de outra pessoa ou equipamento, que o auxilia no controle da força aplicada, sempre respeitando os limites do corpo e contribuindo para que as posições sejam anatomicamente confortáveis.

***

No Pa-Kua, os alongamentos são trabalhados em todas as modalidades de formas diferentes e focos específicos. Em todas as aulas, praticamos uma série de movimentos repetitivos, os 24 movimentos iniciais, que estimulam o alongamento e ativam diferentes partes do corpo. Há também modalidades como acrobacia, sintonia e cosmodinâmica, que trabalham exercícios diferentes, direcionados a prática.